Servidores do Sistema Socioeducativo cruzam os braços em protesto à retirada do policiamento na unidade de Internação de Planaltina.

Browse By

Os servidores da Carreira Socioeducativa cruzan os braços pelo segundo dia devido à desativação do posto da Policia Militar.

 

As Unidades de Internação são passíveis de diversos atos criminosos em decorrência do público atendido que cumprem medida socioeducativa devido aos atos infracionais tipificados como homicídio, latrocínio, roubo, tráfico, entre outros.

 

Infelizmente, é comum ocorrerem tragédias como fugas em massa, resgates e até a execução de agentes e internos. Reiteramos que a ausência de postos policiais nas entradas dos centros de ressocialização é um fator decisivo para estas trágicas ocorrências.

 

“Vários internos são ameaçados de morte por seus rivais; Ex-interno já veio à porta da unidade com o objetivo de matar um Agente; servidores já foram vítimas de desacato e ameaça na porta da unidade; Graças a Deus e a presença da Polícia Militar, muitas tragédias foram evitadas.” relatam servidores da UIP.

 

Vale salientar que o GDF está descumprindo o acordo de retorno da última greve em 2015, pois na época o governador Rodrigo Rollemberg garantiu a instalações de postos nas unidades de São Sebastião e Santa Maria. Contudo o que ocorreu foi o oposto, além de não instalar os postos nessas unidades, o GDF ainda está removendo os já existentes.

 

O GDF ainda descumpriu a Recomendação conjunta n° 03/2016 da Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude – PREMSE, para que determine ao Comando-Geral da Polícia Militar a instalação de Unidades da Polícia Militar nas áreas contíguas a cada Unidade de Internação do Distrito Federal.

 

O Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa alerta que devido a desativação do posto, os servidores e socioeducandos se encontram totalmente vulneráveis, sem nenhuma condição de trabalho. Portanto, enquanto não houver o retorno dos postos 24 horas da PM, os atividades da unidade ficarão suspensas, resguardando somente as essencias e emergenciais, inclusive com prejuízo das visitas de familiares aos socioeducandos se for necessário.

 

Vários atentados já ocorreram em unidades socioeducativas. O Governador Ibaneis em campanha eleitoral disse que trataria o Socioeducativo com prioridade, todavia, o que observamos até então é a prática reiterada dos governos passados de negligenciar as políticas públicas voltadas ao Sistema Socioeducativo.

 

A UIP está localizada em uma área de alta periculosidade de Planaltina onde inclusive já ocorreram tentativas de execução de internos e de servidores na porta da unidade. Mais recentemente, foi ateado fogo em um veículo na frente da unidade.

 

A insegurança toma conta do Sistema Socioeducativo do DF! É o GDF demonstrando o descaso com os servidores e socioeducandos.

 

Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa do Distrito Federal

 

“União é força”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.